10 de jul de 2013

Pessoas que somos

Nós somos todos tão parecidos, mas ao mesmo tempo não. Somos gerados da mesma forma, criados com os mesmos alimentos, crescemos e começamos então a aprender 1% do que dizem ser tudo.
É tão estranho estar aqui. Pessoas eu vejo e não sei o que significam, tenho medo de tantas incertezas. Sinto que tentar entender isso é natural, mas eu procuro entender porque quero saber, existe algo muito além das minhas perguntas.
As vezes eu vejo capacidades que o meu raciocínio nunca antes imaginou existir, me sinto incapaz novamente. Apesar de tudo, eu não tenho medo do que me pergunto, mesmo nada fazendo sentido, entendo perfeitamente que existem coisas que não são preciso se esforçar para entender, porque são tão simples, tão simples que a sua própria banalidade é fútil.
Minhas músicas são as minhas drogas, meu vício é artificial, me sinto bem no que acredito. Sim, melhora.

Um comentário: