16 de mai de 2012

Ansiedade, envelhecimento e morte

Uns tem pouco, outros tem muita, muita mesmo que chega até a atrapalhar sua vida. Ansiedade, é disto que estou falando. Eu não sei o meu grau de ansiedade, o que sei é que quando espero algo freneticamente, a chegada tem de ser esplendorosa porque quando me decepciono e tudo não era como eu imaginava, me vejo numa situação horrível de se descrever.
Muitas vezes me pego pensando na vida como ela será (se eu chegar até lá) quando eu tiver meus 50 anos. Fico preocupado, eu quero poder conseguir fazer o que eu faço bem hoje. Quero gostar ainda dos mesmos gêneros musicais e curtir o lançamento de um novo eletrônico como eu curto hoje.
As vezes eu queria que tudo acabasse (poderia ser agora mesmo). Já as vezes queria viver eternamente e acho isso aqui esplêndido. Olho para o céu e para todos que andam na rua, como as coisas se movimentam e quantas cores tudo isso tem, e vejo o quanto tudo é perfeito, eu queria estar aqui para sempre e poder compartilhar meus sentimentos nunca envelhecidos.

Nenhum comentário:

Postar um comentário