22 de set de 2015

Quando pequeno eu fui muito de sentir, não saber, não ler, não entender, mas de sentir, no inglês eu me perdia em emoções e agora no crescer eu encontro num toque do português, instantes de sabedoria que chegam pedindo para entrar, nesta língua eu não só sinto, compreendo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário